XXIII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Determinação de uma assinatura imune em glioblastoma

Introdução

O glioblastoma (GBM) é a forma mais comum e devastadora de tumor cerebral primário. A ressecção cirúrgica representa o tratamento de primeira escolha, seguida de radio/quimioterapia com o agente alquilante temozolomida (TMZ). Entretanto, essas estratégias demonstram eficácia limitada devido ao desenvolvimento de quimioresistência, o que resulta em uma sobrevida média de apenas 12 meses.

Objetivo

Analisar a participação dos TAM/GAM no desenvolvimento de resistência em GBM, determinando uma assinatura imune com valor prognóstico.

Método

A partir de pacientes diagnosticados com GB IDH selvagem ou mutado interna dos na ISCMPA/Hospital São José realizamos coletas periódicas de sangue (antes da cirurgia, antes e após o tratamento radio/quimioterápico) a fim de analisar a produção de citocinas (IL6, IL1?, MCP1, IL10 e TNFa). As citocinas foram analisadas utilizando o kit Luminex de acordo com as recomendações do fabricante. Os resultados foram expressos como mediana e intervalo interquartil e foram analisados por análise estatística.

Resultados

Os resultados foram expressos como MFI. Considerando que macrófagos do tipo-M2 que acumulam em GBMs vem da periferia, nós especulamos que as células tumorais liberam fatores solúveis para o soro, modulando de forma diferencial o comportamento dos monócitos/macrófagos em quadros de quimioresistência.

Conclusão

Portanto, conseguiríamos determinar uma assinatura imune periférica que possa ser utilizada como fator prognóstico.

Palavras-chave

GLIOBLASTOMA

Área

XXII Congresso da Sociedade Brasileira de Radioterapia

Autores

ALINE MORAES DE ABREU, PRISCILA OLIVEIRA DE SOUZA OLIVEIRA SOUZA, ELIZANDRA ALINE BRAGANHOL